Antonio Hugo

Ser romântico, é ter a certeza, de que vale a pena amar; amar a todos, e a tudo o que for bom.

Textos









 

“SEM INFÂNCIA”.

  (Prosa poética).

 

Jovens... Ainda crianças,

Com um fardo de experiência,

Não teve infância nem inocência

Nem um peito para mamar...

Crianças com a esperteza

De um pirata do mar;

Cujo berço foi a rua...

Seu cobertor, os jornais,

A sua mãe qualquer uma

O seu pai... Nunca pronunciou

Esta palavra...

A sua dispensa foi sempre

O dispensável... Ou os restos!

Traz como referência

A desconfiança de todos;

Criança esperança...

Quando esta esperança há

Quando há uma lembrança

Quando para...  Para pensar;

Passa o dia vem à noite

Qualquer lugar é lugar...

Qualquer roupa é a sua

Qualquer viaduto é seu lar;

Qualquer menino é seu irmão.

Nem vale a pena planejar...

Qualquer condução lhe serve

Para ir para qualquer lugar.






 

Antonio Hugo
Enviado por Antonio Hugo em 06/03/2008
Alterado em 23/09/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Antonio Hugo/ site: www.antoniohugo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Áudios Relacionados:
"SEM INFÂNCIA". - Antonio Hugo


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras