Antonio Hugo

Ser romântico, é ter a certeza, de que vale a pena amar; amar a todos, e a tudo o que for bom.

Textos








                    “SAUDADES”.


São exatamente meia noite, o sono não chega, fecho os olhos e vejo você; faz tanto tempo que falei contigo.

Naquele tempo eu pensei ser brincadeira, você também achava.

Mas o tempo me mostrou que não, estava neste instante sozinho, debruçado sobre a mesa, cabeça vazia... Então comecei recordar.

Lembrei-me do salão de baile, em que foi um custo convencê-la a dançar comigo; depois que dançamos você disse que ia embora, eu me ofereci então para levar-te até a sua casa, você relutou, mas acabou por aceitar.

A rua era longa, a noite era bonita... Então seguimos caminhando devagar, quando chegamos à esquina da sua casa eu te pedi um beijo de boa noite, você então me deu um Celinho... Mas era difícil olhar aqueles lábios rubros e não beijá-la de verdade, então te apertei contra o meu corpo, e sentindo cada curva, cada volume encostar-se ao meu corpo; e com certeza você correspondeu.

Então foi um longo beijo, e depois do beijo, mais outro, e mais outro... Eu já estava embriagado, encostei-me num poste, e você se agasalhou entre as minhas pernas, e se enlaçou ao meu pescoço... E não paramos mais de nos beijar.

Cada minuto que passava os beijos ficava mais gostosos, que foi difícil controlar, mas eu me controlei... Controlamos-nos, afinal estávamos ali na rua... Na rua da sua casa.

Logo chegou a sua irmã mais velha, e te convenceu ir para a sua casa.

Eu estava noivo de outra moça, e você sabia; foi à última vez que eu a vi, foi a última vez que te beijei... Até por que foi a primeira vez também.

Anos se passaram, tanta coisa aconteceu comigo, não sei contigo; mas eu jamais te esqueci.

Você mudou de endereço, eu não consegui mais te encontrar, hoje você não saiu da minha mente, você tirou o meu sono, você tirou a minha paz.

Eu fechei os olhos... Eu senti o teu beijo, o teu abraço os teus braços... Eu senti você.

Aquela música que dançamos, até o poste em que nos encostamos, não saiu mais da minha mente.

Hoje eu não sei onde está com quem estás... Nem onde moras. Eu não sei se é amor, eu não sei se é paixão; eu só sei que não consigo te esquecer.


(Para ler e ouvir a música, vá ao meu site).
www.antoniohugo.recantodasletras.com.br
Obrigado por ler os meus textos, abraços...













Antonio Hugo
Enviado por Antonio Hugo em 18/07/2007
Alterado em 18/07/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Antonio Hugo/ site: www.antoniohugo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras