Antonio Hugo

Ser romântico, é ter a certeza, de que vale a pena amar; amar a todos, e a tudo o que for bom.

Meu Diário
27/01/2009 11h19
"RELÓGIO DA CENTRAL".






“O RELÓGIO DA CENTRAL”.
              
 
 
O relógio da central girava lento
Os minutos parecia eternidade,
O trem não vinha, saboreei cada momento;
Antes de ir, já sentia tanta saudade.
 
Um longo beijo, mais um abraço amoroso,
Um cafuné, um suspiro, chegava a hora,
Quão doce era seu beijo, tão gostoso,
A triste angustia de saber que ia embora.
 
Agora o silencio, cai uma lágrima,
Seus olhos tristes revelavam uma dor,
Uma voz triste brotava do diafragma
Nela notava-se um grande amor.
 
Entre soluços, então por que partir?
A pergunta deixava-me angustiado,
Era um grande desafio a descobrir...
Quase morrendo, o coração apaixonado.
 
Silencioso o trem já deslizava
A passarela da triste despedida,
Desvencilhando do abraço que abraçava
Era lançado o pior teste da minha vida.
 
Na multidão um aceno solitário
Não mais um adeus de despedida...
Um longo grito se desprende do calvário;
Diz, eu te amo! Amarei-te sempre querida!







Publicado por Antonio Hugo em 27/01/2009 às 11h19
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Antonio Hugo/ site: www.antoniohugo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras