Antonio Hugo

Ser romântico, é ter a certeza, de que vale a pena amar; amar a todos, e a tudo o que for bom.

Áudios

"ALGUÉM QUE TE AMA".
Data: 06/06/2007
Créditos:
Autor: Antonio Hugo.
Voz: Antonio Hugo.
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Antonio Hugo/ site: www.antoniohugo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.








“ALGUÉM QUE TE AMA”.

Minha querida...

Agora já é primavera, eu olho os ipês nas alamedas,
E me lembro de você, nas nossas caminhadas domingueiras.
Ainda ontem eu sentei naquele banquinho lá da praça,
Onde acostumávamos namorar, logo atrás do banco tem um
Pé de margaridas, novamente me lembrou nós dois, você
Gostava das margaridas; dizia que elas lhe davam muita paz,
Não demorou muito e alguém passou, e pelas costas eu pensei
Ser você, eu corri na direção e abordei aquela moça; quando
Ela se virou... Eu percebi que não era você.
Pedi desculpas e segui o meu caminho, em todos os lugares 
que eu passava... Tudo me lembrava você.
Eu nem preciso dizer que te amo, nem será preciso dizer que 
te adoro... Mas eu não posso deixar de dizer que eu te quero, e
Que estou esperando você.
Sem ti aqui, os domingos são intermináveis, as semanas parecem 
séculos, os sábados à noite parecem não existir.
Outro dia eu abri a minha carteira, e lá estava a sua foto,
Deu-me vontade de beijá-la, mas não beijei... Não sei se é
“Superstição”, mas a minha mãe me disse que não é bom
Beijar fotografias, ela falou que isso faz a pessoa beijada...
Esquecer-se de quem a beija, na duvida eu decidi não arriscar,
Afinal, eu queria beijar era você; beijar esses teus lábios macios, 
pegar tuas mãos e não deixá-la mais partir... Ficar contigo até 
o fim dos nossos dias.
Sabe amor, aquele casal de colibris que vinham beijar as nossas
 flores, ainda continua aqui; a cada vez que os vejo
Eu choro, não sei se eles me entendem, mas eu sei o quanto
Sofro, longe de ti.
Outro dia eu fui a beira da praia para ver a lua nascer, eu
Conversava baixinho com a lua... Eu conversava com as estrelas,
eu conversava com o céu; eu pedia explicações para a lua...
Mas que tolo, a lua não ia me responder.
Bem amor já é tarde, eu vou parar de escrever, vou me recolher 
aos meus aposentos, vou ver se eu sonho com você.
Querida, sonha comigo, que aqui eu sonharei também contigo,
Quando sentires algo mexendo no seu cabelo, saiba que sou eu 
no pensamento, acariciando você.
Um beijo desse alguém que te ama, e que jamais vai te esquecer. 










Enviado por Antonio Hugo em 06/06/2007

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Antonio Hugo/ site: www.antoniohugo.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras